Archive for the ‘Actividades’ Category

Oração Janeiro JR

O que “o Espírito do Pai” te diz e o que “as pessoas” te dizem! Foi este o confronto que fizemos nesta noite fria. O ser cristão hoje e o estar inserido numa sociedade que nos empurra para o facilitismo através da maldade, que nos conduz aos nossos objectivos, pela ganância, esquecendo as pessoas e esquecendo o “sonho que Deus tem para cada um de nós”.

E eu? Como vivo eu esse “Sonho de Deus”? Paro para O escutar e ouvir o que Ele quer de mim? Ou deixo-me ir pelos empurrões sedutores e sucessivos da sociedade em que vivo? Vou na “CORRENTE” ou CONTRA A “CORRENTE”?

Oração Fevereiro JR

Este mês, em pleno tempo de Quaresma, foi e é momento de visitarmos o deserto pois só nele “compreendemos que a nossa vida tem de ser Amor” É neste deserto que Deus nos fala ao coração.“Precisamos de silêncio, da solidão e do descanso”.

Oração do Advento

Posted: Dezembro 21, 2012 in Actividades

Preparemos o nosso coração. Nesta noite a JMV de Cernache reuniu-se na sua casa e junta rezou. Rezámos o terço. Mas não foi mais um terço de Advento. Foi sim um terço que nos fez refletir. Tantos sentimentos que temos que nos impedem de abrir o coração nesta época tão especial que é a preparação para a chegada do Menino Jesus. Lembremo-nos que é preciso deixar de lado os medos, as invejas, a comodidade e todas as outras coisas que não nos deixam chegar até Ele.

«Sê LUZ neste Natal…

O Senhor está próximo. Aproximou-se em Belém, aproxima-se hoje, aproxima-se de mim e pronuncia o meu Nome. A sua presença e a sua Palavra envolvem-me e sinto-me pobre. 

nascimento_de_jesus

Porque me visitas, meu Deus?

Porque reparas em mim, que sou pobre e débil?

Mas Ele teima e aproxima-se ainda mais. Repete o meu nome uma e outra vez.

Sou Eu – diz-me – não tenhas medo.”

Cada vez que me fala, cada vez que oiço a sua Palavra, a Paz invade-me, os meus medos desaparecem. Sinto-me livre e em paz, apesar da debilidade.

Desde o mais profundo do meu ser, digo-Lhe: “Aqui estou, Senhor, sou teu“.»

Feliz Natal amigos. Que nosso Senhor Jesus Cristo esteja sempre nos vossos corações. Deixem que Ele vos invada e vos purifique!

Campos de Missão de Natal

Posted: Novembro 11, 2012 in Actividades

Mais uma época de ajuda ao próximo. Campos de Missão de Natal entre os dias 16 e 21 de Dezembro. Despacha-te as inscrições são ate dia 18 de Novembro.

 

«Dez vezes irão aos pobres, dez vezes encontrarão a Deus» São Vicente de Paulo

Concurso de Sopas 2012

Posted: Outubro 8, 2012 in Actividades

No dia 7 de outubro de 2012, Cernache do Bonjardim foi palco de um concurso de sopas, intitulado “Saberes com Sabores”. O evento, que foi organizado pela Juventude Rivier (JR), teve lugar no salão paroquial e reuniu as pessoas para uma tarde diferente e muito bem passada.

O cartaz prometia. Por volta das 13h o concurso de sopas foi oficialmente aberto e todos os presentes puderam provar todas as maravilhosas sopas a concurso, para posteriormente poderem eleger a sopa vencedora.

Despois do almoço e dos tradicionais momentos de convívio, os presentes foram convidados a assistirem ao concerto da banda católica “Insígnia”. A banda setubalense animou a tarde e tocou vários temas conhecidos de todos e também alguns originais. No final do concerto foi a vez da banda da JR subir e estrear-se no palco. Esta banda teve em Cernache sua primeira atuação e mostrou a todos uma música original e o hino do movimento.

Quando terminou a tarde musical, foi então tempo de anunciar a sopa vencedora. A sopa de caldo verde levou para casa o título de vencedora do concurso “Saberes com Sabores” e também uma varinha mágica!

Foi uma tarde muito bem passada onde a animação, o convívio e a harmonia foram o prato forte que se serviu… e que nos perdoem todas as saborosas sopas!

“Nesta vocação, vivemos de modo muito conforme a Nosso Senhor que, segundo parece, quando veio a este mundo, escolheu como tarefa principal assistir os Pobres e cuidar deles.” São Vicente de Paulo

É neste dia tão especial (27 de Setembro) que se celebra o dia de São Vicente de Paulo. Todas as famílias vicentinas festejam este dia com alegria e oração.

A Juventude Mariana Vicentina de Cernache organizou uma oração vicentina. Em nome de São Vicente. Segui-mo-lo. Cada passo seu. E espalhamos cada vez mais a sua obra e palavras. Aquilo que ele foi. E aquilo que nos tornou. Presentes na caridade. Cada um no seu jeito de ser.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Concurso de Sopas

Posted: Setembro 16, 2012 in Actividades

De 26 de Julho a 6 de Agosto, 13 jovens (Juventude Rivier e Juventude Mariana Vicentina) de Cernache do Bonjardim, viveram uma experiência única e inesquecível de Peregrinação, oração e comunhão.
Eis alguns testemunhos dos jovens que participaram nesta experiência:

Há muito que esperava o regresso a Taizé.
O ambiente de simplicidade que se vive naquela colina faz-nos afastar da agitação do dia-a-dia.
Em Taizé sempre me fascinou a oração. Porque naquele momento nem precisamos de Lhe dizer nada, basta calar os barulhos do coração e deixarmo-nos tocar pela mensagem e pela própria melodia dos cânticos de Taizé que trazem Deus até nós.

Após 3 anos a caminharmos juntos, já ansiavamos por uma saída assim, num espírito inteiramente interior, não para passarmos um tempo juntos, mas sim para nos consolidarmos e dedicarmos tempo uns aos outros. Caminharmos lado a lado na construção do nosso íntimo. Penso que isso sim foi o mais importante. Cada um de nós ser uma força motivadora no caminho do outro.
Uma parte muito importante da nossa viagem foi o percurso que fizemos até chegar a Taizé, e também o de regresso. Tivémos a oportunidade de passar por algumas das casas das irmãs da Apresentação de Maria, que nos acolheram como só elas sabem. Em Portugal ou do outro lado do mundo o carinho, a atenção, a dedicação destas irmãs é o mesmo. Entre essas casas tivemos o privilégio de passar um dia na Casa-Mãe, em Bourg Saint-Andéol. Visitámos o convento onde durante muitos anos Ana Maria Rivier viveu, inclusivamente o seu quarto. Neste espaço tudo está como antigamente. É único aquele espaço de oração, em que o nosso coração sente fortemente a presença de Maria Rivier e deseja viver com a energia e o amor que esta mulher viveu durante toda a sua vida, de entrega aos outros e a Deus.
Obrigada às Irmãs da Apresentação de Maria e a todos vocês Grãozinhos de Trigo, que contra os medos e inseguranças me deixaram espreitar para cada um dos vossos corações. Cada um de vós tem muito para dar, por isso queiram continuar a caminhar interiormente, sem preguiças. E juntos somos mais.

Maria João Ribeiro

Taizé foi uma experiência muito enriquecedora tanto para o grupo, como para cada um individualmente. Houve dificuldades e coisas inesperadas , é verdade que sim, mas as coisas boas sobrepõem-se sempre e isso foi uma das coisas que trouxe de Taizé.

Antes de partir estava um pouco anciosa e expectante relativamente ao que iriam ser estes dias.
Esta experiência ajudou-me a arrumar ideias e a ter perceção de coisas que se passavam à minha volta e do qual não me apercebia (ou não me queria aperceber), ajudou-me a lidar melhor com certas situações e a aproximar-me mais de algumas pessoas de quem não era tão próxima. As conversas com alguns dos membros do grupo, as orações e os mometos de silêncio foram das coisas mais impotantes para mim, pois ajudaram a refletir e a encontrar-me e descobrir-me a mim, a Deus e aos outros. O facto de haver sempre um local onde poderíamos estar em silêncio também foi muito importante.
Dos três dias antes de chegar a Taizé o que mais me tocou foi o dia que passámos na Casa Mãe, onde o exemplo de vida de Maria Rivier mostrou que as dificuldades não são impedimento de ser feliz e de abrir o coração aos outros.
Gostei muito destes dias.

Sónia Martins

Eu tentei ir para esta viagem um pouco às “escuras”, sem criar muitas expectativas, mas a verdade é que toda a viagem superou qualquer expectativa que eu pudesse ter criado , foi de facto inesquecível.

É verdade que nem sempre foi o sonho que desde há um ano havíamos idealizado, mas sempre superámos os problemas em conjunto e não seria uma ida a Taizé que iria mudar isso. Além disso, conhecemos alguém de quem hoje sentimos imensas saudades e alguém que desde o primeiro dia se tornou parte da nossa família, o Samuel. Ele foi de certa forma o nosso guia em Taizé, mas um amigo com quem pudemos sempre contar.
Além de Taizé, visitámos também algumas cidades, espanholas e francesas, das quais eu gostei muito, especialmente de Salamanca. É sem dúvida uma cidade que eu gostaria de visitar novamente.
Espero que daqui a dois anos voltemos e que, tal como desta vez, venhamos mais unidos do que nunca antes, foi uma experiência que será difícil repetir.

João Santos

Não há palavras que descrevam o que vivi em Taizé, foi uma experiência única. Cada oração, cada lugar, tinham um espírito tão especial que nos permitia estar em oração como, por vezes, é difícil de estar noutros lugares. A língua tornava-se uma barreira em certos momentos, mas com esforço e dedicação conseguíamos dar a volta, fazer-nos entender e conseguir expressar os nossos pensamentos. Ir com o nosso grupo ainda tornou esta experiência mais rica, conseguimos trabalhar a nossa amizade, conhecer-nos a todos ainda melhor e ajudar-os uns aos outros. Nunca na minha vida vou esquecer esta viagem. Eu não sobrevivi em Taizé, eu vivi!

Sara Joana

Taizé é… bem, por muito que tenha procurado não encontrei palavras para descrever o que é viver em Taizé. Então se for em grupo e ao lado dos nossos verdadeiros amigos, ao lado dos nossos irmãos de coração, então Taizé é algo indescritível. É uma experiência única que nunca pensei viver. O clima que se cria entre todos é fantástico. As orações, as refeições, as reflexões, a igreja, os cânticos, as diferentes culturas, os diferentes países… enfim, tudo tem um sentido. É tudo tão belo!
Já há uns dias que não me andava a sentir bem comigo própria. Faltava-me o silêncio e a oração, faltava-me o diálogo com Deus. E foi em Taizé que me consegui encontrar.
E apesar de alguns crerem em algo que outros não creem, estamos ali todos porque cremos em um só Deus, e em Seu filho Jesus. E isso é realmente importante.
Numa igreja simples, quase sem bancos, com algumas velas e a imagem de Jesus Cristo crucificado, consegue-se ir ao profundo de cada um. E durante as orações, durante o momento que fazemos silêncio vê-se no rosto de cada um, um sentimento. Às vezes vê-se tristeza, outras vezes vê-se angústia, outras vezes vê-se tranquilidade, enfim. E depois vê-se uma lágrima ou outra a escorrer pelo rosto, sinal de profundidade. É sinal de que aquela pessoa conseguiu encontrar-se com Deus no seu profundo.
Não sei mais que dizer, senti que é preciso muito mais do que palavras, às vezes é necessário silêncio, para sentirmos que Deus está no nosso coração.
Percebi também que os verdadeiros amigos estão connosco. E não é necessário ir a Taizé para ver isso. Às vezes é preciso é o espírito de Taizé vir a nós.
Aconselho vivamente Taizé. Lá encontramos imensas respostas para parte das nossas dúvidas.

Patrícia Gomes

Durante os primeiros dias de viagem, não pensava muito na chegada a Taizé, pois tínhamos ainda alguns dias para conhecer outras cidades, outros lugares e outras paisagens.
Mas, quando estávamos mesmo a chegar a Taizé, o meu coração ficou curioso e agitado. Milhares de jovens chegavam e outros tantos partiam…
Ao longo da semana, apercebi-me de que estava num mundo à parte, num mundo onde se descobre a oração, o silêncio, a reflexão, a esperança, a fé e a simplicidade.
Rezar em Taizé é rezar em silêncio, porque só no silêncio podemos encontrar Deus, reflectir acerca dos problemas, das falhas, dos erros.
Rezar em Taizé é também cantando os cânticos que transmitem mil e uma sensações.
Em todas as orações existe um momento de reflexão, em que toda a igreja está em silêncio. Foi nesses momentos que consegui chegar ao meu coração, escutando-o.
Na noite em que acendemos as velas, toda a igreja, pouco a pouco, foi iluminada pelas muitas luzinhas de cada jovem, de cada pessoa. Estava então a igreja cheia da luz de Cristo, da fraternidade e da paz.
Uma semana em Taizé é algo que estava a precisar. É algo que não se explica muito facilmente, apenas se sente o desejo de lá ficar durante mais tempo.
Tenho então assim a certeza de que vou voltar.

Dalila Felizardo

Peregrinação a Taizé

Posted: Setembro 6, 2012 in Actividades, Photos

Este slideshow necessita de JavaScript.